Concessionária Ford em Foz do Iguaçu - PR

Por Autoeste 21.07.2020

Você já ouviu falar em virabrequim, mas não tem ideia do que ele é?
Do mesmo modo, soube de algo a respeito da junta do cabeçote, da biela e do pistão, mas segue sem noções sobre a finalidade deles? Pois o mistério acabou! Separamos um conteúdo incrível para que você conheça  todas essas peças do motor, além de várias outras.
Primeiramente, é preciso saber que o motor se divide em dois conjuntos. O superior é o cabeçote, que geralmente é feito de alumínio. Ali estão as válvulas, as velas e diversos outros componentes. O inferior é o bloco, que concentra os cilindros, o virabrequim e demais peças.

Cabeçote e componentes relacionados.

O cabeçote é um componente que arremata a parte superior dos cilindros. Normalmente, é fabricado em liga de alumínio, mas também pode ser confeccionado em ferro gusa. Nele, localizam-se várias peças, móveis e fixas, descritas a seguir.

  • Tampa do comando de válvulas

É uma carenagem metálica que encobre a parte superior do cabeçote do motor. Sob ela, está localizado o comando de válvulas. E serve para proteger os componentes do cabeçote da sujeira e de qualquer tipo de contaminação.

  • Comando de válvulas

É um eixo cilíndrico de pequeno diâmetro, responsável pela abertura das válvulas do motor. Geralmente está posicionado no cabeçote, mas, em veículos com mecânica de concepção mais antiga, esse componente pode estar integrado ao bloco. Instalado diretamente no eixo de comando, há um conjunto de peças ovaladas chamadas de cames. Quando entra em rotação, esse mecanismo promove a abertura das válvulas do motor.

  • Válvulas (de admissão e de escape)

Para cada cilindro do motor, há pelo menos duas válvulas: uma de admissão e uma de escape. Porém, esse número pode variar: dependendo do projeto, podem existir três, quatro ou até cinco válvulas para cada cilindro. Tais componentes, fundamentais para o funcionamento do motor, movimentam-se por meio da ação do eixo de comando.
Qualquer válvula tem a função de regular a passagem de fluidos ou de gases, à medida que se abre ou que se fecha. As válvulas do motor têm o mesmo princípio: as de admissão dosificam a passagem da mistura ar-combustível para dentro do motor. Já as de escape expelem os gases resultantes da queima do combustível.

  • Bico injetor

Esse componente, vital para o sistema de alimentação de combustível, tem um corpo metálico em formato pontiagudo. Em seu interior, há pequenas peças móveis. Seu funcionamento é controlado eletronicamente.

  • Vela

É a peça responsável por produzir centelha para o motor. Tem uma porção inferior confeccionada em metal e um corpo isolante em material cerâmico, que fica parcialmente à mostra. Está ligada ao sistema elétrico do veículo por meio de cabos.

  • Correia dentada / Corrente de sincronização

Trata-se de um componente de borracha com uma série de “dentes”, no caso da correia dentada, ou metálico, formado por elos, no caso da corrente. Essa peça interliga o virabrequim, na parte de baixo do bloco do motor, às árvores do comando de válvulas, no topo do cabeçote.
Esse componente é responsável pelo sincronismo entre o virabrequim e o comando de válvulas. Graças a ele, os pistões e as válvulas trabalham de modo ordenado e sem folgas, o que é essencial para o funcionamento do motor.

  • Junta do cabeçote

Esse componente é instalado exatamente no ponto de junção entre o bloco e o cabeçote do motor. É ele que une tais partes e as mantêm estanques.

  • Bloco e componentes relacionados

O bloco é o maior componente de um motor. Trata-se de uma estrutura geralmente confeccionada em ferro fundido ou em liga de alumínio. Nela, estão localizados os cilindros e os suportes para o virabrequim.

Conheça abaixo todos os componentes relacionados ao bloco.

  • Cilindro

No interior do motor, há orifícios cilíndricos. Geralmente, essas perfurações formam uma peça única com o bloco, sendo moldadas diretamente no processo industrial de fusão. No interior do cilindro, ocorre a movimentação do pistão. É a ação desses componentes, cíclica e alternada, que locomove o veículo.

  • Pistão

O pistão é um êmbolo móvel, confeccionado em liga de alumínio. A parte superior, mais volumosa, é popularmente chamada de “cabeça”. Na outra ponta, há um orifício, onde um pino o une à biela.  Essa peça está presente em quase todos os motores de combustão interna.

  • Biela

Trata-se de um componente móvel com duas extremidades, cada qual com um orifício. O superior, de diâmetro menor, abriga um pino que é afixado ao pistão. O inferior, maior, é conectado ao virabrequim. O tamanho dessa peça varia de acordo com o projeto do motor. Tal peça atua justamente como elo, ligando o pistão ao virabrequim. Por isso, a parte de baixo movimenta-se lateralmente, enquanto a de cima move-se verticalmente. As bielas estão entre os componentes mais solicitados do motor. Assim sendo, precisam ter altíssima resistência: geralmente são confeccionadas em aço forjado ou fundidas em ferro-gusa.

  • Virabrequim

Também chamado de eixo virabrequim ou de árvore de manivelas, é uma peça giratória formada por várias articulações. Localiza-se na parte de baixo do bloco. Trata-se de um dos componentes mecânicos mais importantes do veículo. A função desse componente é transformar o deslocamento proveniente do sobe-e-desce dos pistões em movimento de rotação. É o virabrequim que transmite a energia gerada pelo propulsor para a transmissão, que a distribui para as rodas motrizes do veículo.

  • Mancal

Qualquer dispositivo cuja função seja a de apoiar um eixo recebe o nome de mancal. Esse componente deve receber as cargas do movimento vertical que as bielas fazem sobre o virabrequim e permitir que o referido eixo se movimente com o menor nível possível de atrito.

  • Casquilho / Bronzina

É um gênero específico de mancal. Também é conhecido como bronzina, pois muitas vezes tem a face interior revestida em liga de bronze. Tem formato semicircular: quando unidas, duas bronzinas formam um anel em torno do mancal.

  • Cárter

Chama-se de cárter o depósito de óleo lubrificante do motor. O formato desse componente assemelha-se ao de uma fôrma retangular. É ali que está localizado o bujão, um parafuso que, quando retirado, permite o escoamento do óleo.

Curtiu e quer saber mais? Fale com a gente!